Resenha: O sobrinho do mago

09:02 0 Comments A+ a-



Vejam a aba de recomendo no ultimo gadget, adicionei um blog lá :3 ele merece todo o reconhecimento de vocês *-* e antes que eu me esqueça, muito obrigada pelos 70 seguidores, vocês são incríveis <3


Alguém aqui já leu as crônicas de Nárnia?
Bem, hoje vim resenhar uma pré-história do livro.
Essa história é uma história bem curtinha, mas muito essencial para você que quer ler "O leão, a feiticeira e o guarda-roupa".
Já vou avisando que contarei spoilers, monstruosos, então se depois for me xingar por isso nem leia o que vem a seguir.

Bom, a história começa contado a vida de Digory, que vai morar com seu tio na cidade e no mesmo dia de sua chegada conhece Polly, sua vizinha.
Eles logo se tornam amigos e desatam a brincar. Juntos os dois brincam, fazem descobertas e até que chega um dia; se metem em confusões.
Mas, não vamos nos apressar, vamos do começo.
O tio de Digory, é um mago, que tenta descobrir as essências para viajar para outros mundos e universos e um dia; o mesmo finalmente consegue, através de dois anéis que transporta pessoas ou objetos para outra dimensão.
Porém o velho é esperto, tem muito medo de ir para onde quer que o anel leve e então força as crianças a irem. As mesmas entretanto se recusam e o velho enlouquece. Em um ato desesperado ele coloca o anel no dedo de Polly, o que faz com que a menina viaje imediatamente para outra dimensão, forçando psicologicamente Digory a ir atrás dela para salva-la e protegê-la.
Chegando lá, os mesmo se deparam em um bosque, que no livro é chamado de Bosque Entre Dois Mundos, cujo a noção de tempo se é perdida, da qual vários buracos se espalham.
O fato é que quando se pula em um deles você é levado a um mundo, gostando ou não.
Polly e Digory para não perderem a entrada de seu universo; a marcam e então aventuram-se por um buraco.
Ao atravessá-lo, eles se deparam em um mundo já em ruínas, cujo o sol aparente estar quase já morto, muito velho, totalmente o oposto do nosso novo e amarelado sol.
No novo universo, os mesmos encontram um palácio, do qual por pura curiosidade tocam um gongo; qual que desperta a Feiticeira, rainha soberana de Charn. A mesma é muito cruel e logo mais confessa que foi ela que fez aquilo com seu próprio mundo. Deixou-o em ruínas pois queria o poder, entretanto não o conseguia por conta de outros reis e rainhas. Sendo assim a mesma usou a palavra execrável e derrotou seu próprio mundo, tornando-se soberana.
Eles com medo da mesma decidem fugir de tal mundo e usando o anel de volta os mesmos retornam para a floresta. Porém o que não esperavam é que a rainha decidira segui-los e o mesmo se repete quando os mesmos voltam para a terra.
O mago fica encantado e não percebendo a maldade da rainha, faz todos os seus gostos. O que resulta em um verdadeiro caos em Londres.
Polly e Digory conseguem mandar o tio depois de muito esforço juntamente com a feiticeira e um cocheiro (juntamente com o seu cavalo) de volta ao Bosque entre Mundos e logo então para um mundo vazio, onde Aslam naquele exato momento começa a criar o mundo de Nárnia.
Logo após conhecerem Aslam, o mesmo coroa Franco, o cocheiro, como o primeiro rei de Nárnia, e logo em seguida trás da terra sua mulher, Helena, e a coroa como primeira rainha de Nárnia. A feiticeira, ninguém sabe o paradeiro, sendo assim todos esquecem sua existência e poe-se a conversar com Aslam, o grande leão.
Digory, que sofre com a doença de sua mãe, que encontra-se acamada, pede a Aslam algo que possa salvar sua mãe e o mesmo lhe explica que em Nárnia há uma árvore da imortalidade e que o mesmo pode colher um de seus frutos, pois ao voltar para seu mundo o fruto terá um poder mais fraco, que será capaz de curar sua mãe. O mesmo lhe agradece e vai a procura do jardim cuja a árvore se encontra. Chegando lá o mesmo encontra a feiticeira, que após perceber que era inútil tentar persuadi-lo para seu lado, como um dos frutos da imortalidade e foge, desesperada.
Digory; então volta para seu mundo, juntamente com sua família e dá o fruto para sua mãe e logo então, a pedido de Aslam, planta as sementes do mesmo em seu quintal.
Da árvore nasce uma grande macieira, que muito tempo depois é derrubada e com a madeira da mesma é feito um guarda roupa, que no livro seguinte descobrimos que é mágico e que possui o poder de tranportar humanos para Nárnia.

Curiosidades:

Antes de sair da Terra, a feiticeira - com a sua incrível força - arranca um poste no meio da confusão que apronta em Londres para amedrontar os outros. E logo então, quando chega em Nárnia, joga-o no chão e o mesmo transformando-se no lampião que conhecemos no segundo livro como o Ermo do Lampião;

Jadis tem uma ilustração diferente daquela do livro O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa;


Em uma das ilustrações de Charn, existe um tijolo com um desenho de leão.

Bom gente, é isso, eu amei fazer essa resenha, gosto muito das crônicas de Nárnia e super recomendo pra quem gostar de aventura e coisa mágicas.
Bem, fico por aqui, um beijo <3

Sou Nathalia Nates, adolescente, confusa, que não sabe o que quer da vida, e por isso tenta de tudo(desistindo na maioria das vezes por ter medos e inseguranças).

Nasci em uma pequena cidade do norte do paraná, onde moro até hoje, com meus pais e meus dois cachorros.