Resenha: A Seleção

13:58 16 Comments A+ a-


Não lembro direito se havia compartilhado com vocês que havia adquirido o livro, mas como prometido em um outro blog que participo, trouxe uma resenha do mesmo.
Terminei de lê-lo acredito que faz umas três semanas no máximo um mês.
Trouxe além da resenha, informações e tudo sobre o livro.
Prontos? O.k, vamos lá!



O livro se passa em um futuro indeterminado, do qual data e muito menos ano nos é informado. Os Estados Unidos da América foi substituído por Illéa, uma pequeno país formado por um sistema de castas e que luta para se manter em pé.
As castas vão de um a oito e são compostas por trabalhadores e/ou privilegiados, como as pessoas da casta dois e um, sendo a um a realeza.
A história foca-se em America, uma jovem ruiva, da casta cinco, que juntamente com sua família trabalha na ramo de artes (cantando, pintando e etc). Em sua cabeça, sua vida é realmente perfeita, a mesma possui uma família, trabalha muito bem (uma excelente cantora) e possui um namorado que a ama.
Entretanto o amor dos mesmo é proibido, pois ele está uma casta abaixo dela, a casta 6 e isso é um grande obstáculo para enfrentarem a mãe da moça, já que a mesma é uma alpinista social e deseja que a filha, assim como sua irmã, case-se com alguém de casta superior.
Como se não bastasse esse empecilho, a mãe de América quer que a menina se escreve na Seleção, um concurso realizado pela realeza para escolher a esposa do príncipe Maxon. A Seleção é uma tradição do país, sendo que quando o rei e a rainha tem uma filha; a mesma se casa com príncipes de outros países para fortalecer a questão política e quando o mesmo é um filho, é realizado um reality show do qual o principe escolhe sua esposa a partir de trinta e cinco garotas, o que muitas veem como "a chance" de subir de casta.
Após muita insistência da parte de Aspen e de sua mãe, América increve-se, segura de que não será sorteada e no entanto ela o é.
Aspen termina com ela uma semana antes do pronunciamento das selecionadas, o que a motiva a encarar essa situação quando a mesma recebe tal notícia.
Finalmente em meio a realeza e ao charmoso príncipe Maxon, ela descobre que ele é totalmente o oposto do que ela imaginava, mas seu ódio profundo, tanto do sistema de castas, quando das regras que cercam o país a impedem de gostar dele.

Eu gostei bastante do livro, entretanto tenho um pouco de medo da sequência, não sei, mas eu sou realmente Teen Maxon.
América é uma jovem impulsiva e engraçada e juntamente com o príncipe é impossível não rir desses dois.
É uma ótima leitura, que flui sem nenhum problema.

Aqui, algumas imagens e ilustrações feitas por fãs:
      

Há boatos que a trilogia iria se transformar em série, alguns dizem que a CW comprou os direitos da mesma ano retrasado, entretanto não há nada confirmado.
Sinceramente eu preferiria que virasse filme, pois são muito poucos livros para se ter uma série.

Bem, espero que tenham gostado *-*
Beijos!

Sou Nathalia Nates, adolescente, confusa, que não sabe o que quer da vida, e por isso tenta de tudo(desistindo na maioria das vezes por ter medos e inseguranças).

Nasci em uma pequena cidade do norte do paraná, onde moro até hoje, com meus pais e meus dois cachorros.