Resenha: A maldição do Tigre

19:58 3 Comments A+ a-


Lá estava eu, na biblioteca indecisa em qual livro pegar, eu queria pegar o 3 de hush hush, entretanto ele não estava disponível, havia sido emprestado, logo avistei esse livro (A Maldição do Tigre), sempre havia ouvido falar dele e já até sentia certo preconceito com ele por ser um tremendo sucesso kkk sabem aquela coisa de "Nossa todo mundo fala desse livro, mas ele é coisa passageira"? Então, era exatamente o que eu pensava (Muitos pensam isso de A Culpa é das Estrelas), mas resolvi pegar o livro com um pensamento de "Surpreenda-me" na cabeça e foi assim que o li! Trouxe a resenha pois faz bastante tempo que não posto nenhuma aqui no blog e as coisas andam paradas né?
Bem, vamos agitar!




A Maldição do TigreKelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco. Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele. O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço. Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.
















Não irei falar muito sobre o tema do livro pois a sinopse já está ali em cima, então serei direta o suficiente para definir o livro em curtas palavras: ele é bom!

Ao total: Sim, eu gostei e muito da estória, principalmente do fato de que a autora não demora para inserir Kelsey na "trama real" ou seja, na história verdadeira de Ren/Do tigre. A aventura começa antes do capítulo 10 se não me engano e não é apressada do tipo o que alguns autores fazem de se ter uma rápida apresentação da personagem e do nada ela já estar no meio de um confusão doida, tudo vai em um ritmo bom, não é aquela eternidade de espera e tem momentos super agradáveis.

 Os personagens: amei os irmãos tigres! Gostei muito de Kishan, mas confesso que fiquei morrendo de medo durante todo o livro de que eu no final acabasse gostando mais dele do que de Ren, pois Ren é incrível, no livro podemos ver o quanto ele merece um final feliz e como ele é bem explorado em cada página e é ai que vocês me perguntam: "Mas se ele foi tão bem explorado e construído como é que você vai trocá-lo pelo Kishan futuramente?", simples, a autora não explora os lados e o caráter de Kishan nesse livro, apenas os de Ren, Kishan aparece claro e da pra se notar que ele tem um grande potencial para conquistar uma multidão de leitores, mas a autora guarda essa oportunidade para mais tarde, deixando apenas Ren para o banquete.
Kelsey é quem narra a estória e em sua maioria devo admitir que a achei muito legal e inteligente, cheia de coragem e determinação, pulso firme até, porém algo que me irritou foi a insistência da autora de fazê-la parecer uma "mocinha", trazendo inseguranças pra ela do tipo "eu não sou tão bonita como dizem", "a unica coisa em que sou boa é em ler livros" ou medos em relação a sentimentos como amor, felicidade e etc, o que me frustou e muito lá pro final do livro, pois Kelsey ficou realmente insuportável sentimentalmente querendo dar uma de durona e inteligente nos negócios do coração.

O cenário e enredo: a autora realmente deu um show nessa parte! Ela apostou na mitologia hindu como já sabem, e devo dizer que eu não poderia escolher forma melhor de aprender algumas palavrinhas da língua e da religião do que através de Kelsey e sua grande aventura. Algo pelo qual me apaixonei e muito foram as lendas e as histórias que são realmente contadas na Índia, sem falar das palavras que aprendemos com Ren e o Sr Kadam, que dão uma vontade imensa de aprender esse idioma. Outro ponto muito bem feito foi o fato de sentir confiança nas palavras da autora em relação à mitologia, pois a deusa Durga segundo suas descrições e suas histórias são realmente fiéis as originais, sem falar dos acessórios e objetos citados ao longo da trama.

Para finalizar eu gostaria de deixar uma nota pro livro, como sempre faço e um comentário final, já que esse livro realmente me surpreendeu como eu queria! A estória é boa, tem ótimos ganchos, bom potencial para uma saga maravilhosa, seu único defeito as vezes concentra-se na mocinha que tem aquela tal da síndrome "amo me fazer de mártir/sou feia e burra", mas tirando isso? Super recomendo! Romance, aventura, momentos de tirar o fôlego, tudo junto!

Nota: 8,9

Irei deixar alguns extras <3 Beijos amores!

    
    

Sou Nathalia Nates, adolescente, confusa, que não sabe o que quer da vida, e por isso tenta de tudo(desistindo na maioria das vezes por ter medos e inseguranças).

Nasci em uma pequena cidade do norte do paraná, onde moro até hoje, com meus pais e meus dois cachorros.